Entenda como os carros autônomos funcionam

2 min. de leitura

Publicado por: Comunicação Frente Digital

Em vez de ler, gostaria de ouvir o artigo? Use o player abaixo.

A previsão é de que em 2025 os carros autônomos representem 4% do total de veículos vendidos no mundo. Em 2035, essa projeção sobe para 75%. Os primeiros projetos, no entanto, começaram a ser desenvolvidos em 2010.


Para um carro ser autônomo e rodar de forma segura são necessários sensores, câmeras e radares, que detectam obstáculos, sinais de trânsito, semáforos, pedestres, relevo. Esses equipamentos fazem uma varredura em 360 graus ao redor do veículo. Por isso, o carro autônomo percebe situações que dificilmente o olho humano conseguiria captar, aumentando a segurança.

Atualmente, acidentes de carro são a 8ª causa de morte no mundo e 95% dos acidentes são causados por falhas humanas. Diante disso, a expectativa é de que a automação da direção reduza o número de ocorrências e de vítimas. Mas quem controla as informações que os equipamentos detectam?

Os dados captados por equipamentos como câmeras, radares e sensores são enviados para o cérebro do sistema, que é responsável por transformá-los em ações, controlando freios, acelerador e direção. Por isso, uma rede de baixa latência, com tempo de resposta praticamente instantâneo, como a do 5G, é fundamental.

Apesar de ainda ser necessária regulamentação para tornar o carro autônomo realidade, o primeiro projeto foi desenvolvido pelo Google em 2010. No Brasil, há vários protótipos desenvolvidos por universidades.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.